MDMV? Só tenho uma e não está comigo

Quero dizer tudo e mais alguma coisa, quero gritar, quero explodir! Ponho-me a pensar...Quando era mais pequena dizia "quando for grande vou ser médica, pa nunca deixar a avó morrer", pois... Isso nem se quer chegou a ser concretizado, agora que preciso de ti, do teu colo, dum abraço, de que me digas "Mara nao te encostes à parede que é fria, põem uma almofada.", preciso de ti. Mas já não te tenho aqui fisicamente, onde estás? Dá-me um sinal que estás comigo, sei que estás, sinto-o. As únicas coisas tuas que tenho são, um terço que ando com ele, as tuas argolas que encontrei por acaso estão bem guardadas pois a mãe tirava-me e ficava com elas e uma foto que anda comigo na carteira. A Saudade aperta, tenho cada vez mais necessidade de chorar por ti, de chorar mais que naquela noite, chorar pelos dias seguintes, chorar... Mas não posso, começo aos soluços. Estamos em dezembro, no mês do natal, do meu aniversário... Este ano vai ser diferente sem ti à mesa, sem a tua comidinha da boa. Sem os teus risos, sem as tuas gargalhadas, sem ti, sem ti fisicamente, porque sei que vais estar lá a sorrir para todos, a ver-nos a jantar, a ver-nos a abrir os presentes, a ver-me... Não te quero desiludir, eu fiz-te uma promessa, que vou quebra-la, vou consegui-la com a tua ajuda onde quer que estejas a ver-me e a proteger-me. Depois passado uma semana vem o meu aniversário, o primeiro sem ti, o primeiro sem o teu telefonema às 21.40m, vou sentir a falta dele. Eu este ano entraram pessoas maravilhosas na minha vida, que a mudaram, que já não podia viver sem elas, mas perdi o meu exemplo, perdi a mulher mais importante da minha vida, a mulher que me viu crescer, que cuidou de mim. Daqui a dias faço 13 anos, mas nem sei se é um motivo de "alegria" ou de tristeza, pois não te vou ter aqui, não vou ter aqui a minha proteção, faltas-me, e nas férias de natal? Vou ficar em casa, não vou estar contigo, não vou pa tua casa, não vou dormir contigo. E agora? Vai fazer 9 meses que não oiço a tua voz, que não te toco, que não te dou um abraço, que... Faltam-me as palavras para te dizer que "Se pudesse falar com Deus duas coisas lhe pedia uma o teu amor, outra a tua companhia", está escrito naquele local onde entrei para te dizer um ultimo adeus, lembro-me de tudo... não consigo esquecer, por mais que tente não consigo, quando fui à capela, tu estavas lá, pálida, o teu sorriso desapareceu devido ao teu sofrimento causado nos últimos dias, quando me aproximei de ti baixei-me e dei-te um beijo  na testa, assim que os meus lábios quentes te tocaram, perdi as forças, o teu corpo estava gelado, senti-me a cair, mas consegui segurar-me, sentei-me e permaneci calada, não consegui falar, não consegui rezar por ti, não consegui fazer nada, nem as lágrimas conseguiam escorrer, estava estática.
Mandaram-me sair, vim cá para fora, nesse momento fecharam-te para sempre, vi-te pela última vez, depois foste levada levada para a igreja, o padre começou a falar, falou de mim, não sabia que falavas com o padre sobre mim, mas eu não estava lá, estava noutro mundo, não pensava em nada, tu não querias que chorasse-mos, eu naquela noite não me consegui conter, mas nos próximos dias aguentei, no dia do teu funeral não deitei uma única lágrima, por mais que a vontade não faltasse, não chorei, tu pedis-te e eu obedeci. A seguir fomos para o cemitério, em cima de ti estava um ramo de umas flores brancas que eram minhas, depois foste para o fundo daquele buraco enorme, eu tremia por todos os lados, o senhor disse para quem quisesse para deitar terra, eu peguei na pá e fui a primeira a deitar, depois vim para trás enquanto os meus pais estavam lá à tua beira.
Hoje quero crescer, hoje quero ser grande não para ser médica, mas sim para poder ser independente, é o meu maior desejo! Hoje quero crescer, quero ter uma casa própria, quero-te provar e dizer "vês vó hoje podes dizer que estás orgulhosa de mim", hoje quis provar-te isso, sei que não há motivo nenhum aparente, mas precisava de dizer-te que foste, és e continuarás a ser a mdmv! Acima de tudo e de todos, és o meu exemplo agora se me perguntarem ... o que queres ser quando fores grande? "Eu queria ser como a minha avó, mas como ela é única e insubstituível, quero ser bióloga marinha"








Amanha, vou pôr uma sondagem espero a vossa colaboração!
Beijinhos Mara 

4 comentários:

Catt. disse...

ai amor , até me fizeste chorar !

MafaldaGomes disse...

Isto é só uma fase, pode ser que até ao Natal eu continue, mas por agora não mesmo, não estou com paciência nem imaginação.
Desculpa :s

Lapastar disse...

Sinto o mesmo que tu,lembraste da nossa conversa amor *.*
também sinto a falta da minha avó (bisavó que eu tratava por avó)sei o que passaste no inicio tu és forte ao contrario de mim eu chorei, não consegui conter, 5 de Dezembro passou um mês , um mês de solidão sem os telefonemas dela, sem os abraços, sem as gargalhadas sem nada percebes?
não consigo falar mais :'(
PS: Desculpa não ter respondido aos sms tive a estudar por causa dos testes, ao menos o desejo que ela pediu eu estou a fazer estudar, para ser alguém,
agora estou sem sms mas quando tiver mando sms a avisar.
beijokas gosto muito de ti <3

Sofia disse...

Ó quida eu não sabia disto :c
Vá amanhã é apara repetir :)
Beijinhos princesa!