Peripécias de Vida XVIII


Mariana: Rodrigo, desculpa, eu sei pelo que estas a passar tirando a parte do mudar de casa pois o meu pai foi po Algarve! Agora estou longe dele, só vou nas férias visita-lo. Vai lá, quando chegares a casa manda-me uma mensagem para eu saber que chegas-te bem! Pode ser?

Rodrigo: Eu faço melhor, falamos por mensagens e assim o tempo passa mais rápido!

Mariana: Sim, pode ser, mas agora vai lá! – Disse eu para ele ir ter com a mãe

Rodrigo: Já me queres ver pelas costas?

Mariana: Não, nada disso tu sabes, agora despede-te decentemente.

Rodrigo: Está bem! Até amanha… - Deu-me um beijo na cara e foi embora

Como havia prometido, falamos por mensagens e foi muito divertido ele pôs-me a rir como já à muito tempo eu não ria! E o resto da semana foi assim, entre visitas, as dores no pé não eram muitas mas mesmo assim às vezes tinha de chamar uma enfermeira de noite, contudo já era Sábado, o dia da minha alta! Finalmente ia sair daquele hospital, eu já odiava hospitais e ainda fiquei a odiar mais! A minha mãe disse que já tinha assinado a alta visto que foi ela que ficou a tratar de mim, iria com ela pois já tinha acabado o seu torno. Seguimos caminho ate casa, quando lá chegamos larguei as canadianas e fui ao pé-coxinho e deitei-me na minha linda cama.

Mãe: Mariana! Tu sabes que não podes fazer isso tens de ter calma assim com o pé!

Mariana: Mas mãe eu tinha tantas saudades da minha caminha! – Sentando-se na cama

Mãe: Eu sei querida mas tens de ter muito cuidado sim? Prometes?

Mariana: Sim mãe, eu prometo!

Mãe: Bem, agora vou descansar, e tu ficas aí deitada.

Mariana: Mas mãe estou farta de estar sentada! E principalmente deitada, eu vou fazer uma visita a avó e não digas que não porque só tenho de passar a estrada!

Mãe: Mariana, eu ligo a avó e ela vem cá!

Mariana: Oh mãe, eu não estou numa cadeira de rodas, além disso tenho um pé decente e tenho de praticar para andar na escola!

Mãe: Está bem, vai lá mas tem cuidado e vens jantar a casa e diz para a avó vir também!

Mariana: Sim doutora Susana! Bem mas agora vai descansar que trabalhas-te toda a noite! – Levantando-me da cama e dou-lhe um beijo na cara

Mãe: Não gosto que me chames isso! E vou seguir o teu conselho, agora vai lá fazer companhia à tua avó

A minha mãe saiu em direcção ao seu quarto e eu saí de casa, estava a fechar a porta de minha casa e deparo-me com uma sombra atrás de mim viro-me e vejo que era Rodrigo pus um sorriso nos lábios.

Rodrigo: A minha surpresa saiu furada, não acredito. – Disse ele pondo beicinho

Mariana: Oh coitadinho! Não saiu nada furada tu consegues sempre surpreender-me.

Rodrigo: Vou levar isso como um elogio. Mas vais fazer alguma coisa de interessante?

Mariana: Eu agora ia para casa da minha avó.

Rodrigo: E queres companhia até lá?

Mariana: Bem, se estiveres disposto a passar a estrada e abrir a porta da frente.

Rodrigo: Onde é que mora a tua avó?

Mariana: Aí em frente! – Ergui a canadiana e apontei para a casa em frente

Rodrigo: Pensei que morasse mais longe, assim podia falar contigo! – disse ele um pouco desanimado

Mariana: Mas tu podes fazer-me companhia, queres ir passear?

Rodrigo: Mas não ias à tua avó?

Mariana: Hoje é sábado certo? A minha avó só sai de manhã e fica a tarde em casa! Mas tem de ser pequenino o passeio, pode ser? É que canso-me muito.

Rodrigo: Sim, pode ser claro que sim.

E assim foi, iniciamos o passeio íamos praticamente sem rumo, íamos a falar animadamente quando ele pára.

Mariana: `Tas bem? Dói-te alguma coisa?

Rodrigo: Não só que é a primeira vez que te vejo de saia e ficas muito bonita.

Mariana: É tu nem és mentiroso nem nada parecido. Eu não gosto muito andar de saia nem de vestido mas agora vai ter de ser. – Disse eu pondo uma cara deste género -.-

Rodrigo: Vamo-nos sentar naquele banco, e descansas o pé.

Mariana: Está bem obrigada, tens razão já estou um bocado cansada.

Fomos em direcção ao banco e sentamo-nos, era uma espécie de parque infantil que havia ali então, eu fui para um baloiço e comecei a andar mas devagar porque podia estragar o gesso ou qualquer coisa parecida ele levantou-se e veio para a minha beira, ficamos em silêncio, ele parou e foi sentar-se outra vez no banco e eu acompanhei-o. Já estamos sentados no banco, ele pôs o braço por cima dos meus ombro fazendo com eu pose-se a cabeça no peito dele e estamos assim eu a brincar com a camisola dele e ele com o meu cabelo.

Mariana: Rodrigo…



Vamos ver o que sairá daqui! 
Bem, meus queridos e estimados leitores sei que prometi postar aos sábados mas ontem foi mesmo impossível por isso aqui têm um capitulo fresquinho, e acho que publico outro hoje mas nao tenho a certeza por isso "deliciem-se" com este   

7 comentários:

joana moreira. disse...

quero mais. (:

Catt´s disse...

És mazinha, acabas te logo o capitulo com uma fala dela e agora estou muito curiosa para saber o que e ela ia dizer ! :D
Já sabes que adoro a tu historia !

Catt´s disse...

Boa . Mas olha que fico mesmo atenta quero saber ! Não vou "descolar" do ecrã ! XD

Lєтıs '' disse...

. oh, muito obrigada ;$

Lєтıs '' disse...

. oh, mas pronto :$ a maior verdade é que só dizem exageros do que escrevo e eu tenho de os agradecer ;b

Lєтıs '' disse...

. mas pronto, acho que ainda não me habituei a tantos elogios e penso que nunca me irei habituar ;b

joana moreira. disse...

obrigada querida. (: